A saúde mental de 60% dos trabalhadores é afetada pelo trabalho

outubro 26, 2009

trabalho

Foto: 20 Minutos (arquivo)

O dado acima se refere aos trabalhadores espanhóis, mas será que por aqui é diferente? Um estudo desenvolvido pela Universidade de León, da Espanha, e publicado pelo jornal 20 Minutos, mostrou que o trabalho provoca problemas de saúde mental em 60% dos trabalhadores daquele país. Os transtornos mais comuns são estresse, fadiga, dores de cabeça, irritabilidade, ansiedade e problemas para dormir. Na Europa, 28% das pessoas que trabalham sofrem de estresse. A pesquisa mostra também as doenças que surgiram nos últimos anos em decorrência do trabalho: síndrome de burnout, um distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso; gripe dos yuppies (fadiga crônica); e dependência do estresse. As pessoas que mais sofrem com esse tipo de doença são muito ativas, competitivas, agressivas, hostis e persistentes, que querem alcançar o maior número de objetivos no menor tempo possível. Segundo os pesquisadores, alguns aspectos do trabalho nos dias de hoje são as causas dessas enfermidades: situação instável de emprego, contratos precários, sentimentos de insegurança laboral, longas jornadas de trabalho, altas demandas emocionais no trabalho e dificuldades em conciliar vida profissional e pessoal. De acordo com a pesquisa, 30% dos empregados trabalham mais de 10 horas por dia ao menos um dia por mês e 14% ultrapassam 45 horas semanais de trabalho.

Anúncios

28% dos desempregados na Espanha não querem trabalhar

março 25, 2009

work

O nível de desemprego na Espanha é o mais alto desde 1996. Só que nem todos os espanhóis estão dispostos a aceitar qualquer tipo de trabalho para voltar a ter um salário. O estudo El impacto de las nuevas formas de trabajo en las estructuras familiares, elaborado por Más Familia, KPMG e Adecco, com o apoio do Ministério da Educação e Política Social, mostra que as três principais razões para que uma pessoa não exerça uma profissão são: não encontrar um emprego com um horário que permita dar atenção também à família (34%), não querer ou não precisar trabalhar (28%) e não encontrar trabalho (15%). Para os entrevistados, a solução estaria no tele-trabalho ou numa jornada menor, entre seis e oito horas por dia, segundo o jornal El Economista.


Trabalho dos sonhos: blogueiro em uma ilha paradisíaca

janeiro 20, 2009

greatbarrierreef

Preocupado com a queda de 5,1% no movimento de turistas estrangeiros em novembro passado, o departamento de turismo do estado australiano de Queensland anunciou a abertura de uma vaga de trabalho encantadora. Trata-se de um emprego de seis meses numa ilha paradisíaca na Grande Barreira de Corais com um salário de 100.000 dólares. Entre as atividades do trabalhador estão nadar, mergulhar, alimentar os peixes e conhecer gente nova. Depois é só escrever sobre as experiências em um blog, publicar vídeos e fotos. Candidatos de todo o mundo podem se inscrever. Para isso é preciso acessar a página “do melhor trabalho do mundo” antes de 22 de fevereiro e enviar um vídeo de apresentação com 60 segundo de duração em inglês. As informações são do jornal espanhol 20 Minutos.