A saúde mental de 60% dos trabalhadores é afetada pelo trabalho

outubro 26, 2009

trabalho

Foto: 20 Minutos (arquivo)

O dado acima se refere aos trabalhadores espanhóis, mas será que por aqui é diferente? Um estudo desenvolvido pela Universidade de León, da Espanha, e publicado pelo jornal 20 Minutos, mostrou que o trabalho provoca problemas de saúde mental em 60% dos trabalhadores daquele país. Os transtornos mais comuns são estresse, fadiga, dores de cabeça, irritabilidade, ansiedade e problemas para dormir. Na Europa, 28% das pessoas que trabalham sofrem de estresse. A pesquisa mostra também as doenças que surgiram nos últimos anos em decorrência do trabalho: síndrome de burnout, um distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso; gripe dos yuppies (fadiga crônica); e dependência do estresse. As pessoas que mais sofrem com esse tipo de doença são muito ativas, competitivas, agressivas, hostis e persistentes, que querem alcançar o maior número de objetivos no menor tempo possível. Segundo os pesquisadores, alguns aspectos do trabalho nos dias de hoje são as causas dessas enfermidades: situação instável de emprego, contratos precários, sentimentos de insegurança laboral, longas jornadas de trabalho, altas demandas emocionais no trabalho e dificuldades em conciliar vida profissional e pessoal. De acordo com a pesquisa, 30% dos empregados trabalham mais de 10 horas por dia ao menos um dia por mês e 14% ultrapassam 45 horas semanais de trabalho.


Turismo de saúde cresce no Brasil

julho 8, 2008

Há poucos dados oficiais que comprovam o fenômeno, mas o chamado turismo de saúde está crescendo no Brasil. Os estrangeiros que vêm ao país em busca de tratamentos médicos e odontológicos são os que permanecem por mais tempo no Brasil – em média 22 dias – e também são os que gastam mais – US$ 120 por dia, segundo dados de 2003 do Ministério do Turismo. Em 2005, os turistas desse perfil representaram 0,9% dos estrangeiros que desembarcaram por aqui, cerca de 48,6 mil pessoas. Para se ter idéia de como a coisa é séria, existe até um guia de turismo médico, bem-estar e qualidade de vida com informações sobre os principais hospitais, clínicas e laboratórios da capital paulista, lançado em 2007 pela São Paulo Turismo, órgão oficial de turismo e eventos da cidade. De acordo com reportagem do UOL, o turismo de saúde não cresce apenas no Brasil e sim em todo o mundo.