US$ 350 por um besouro

julho 1, 2008

O empresário colombiano German Viasus, de 36 anos, encontrou um mercado lucrativo e emprega, atualmente, oito pessoas. Ele cria besouros gigantes em sua terra natal e os exporta para o Japão, onde existe uma “mania de besouro” – “beetlemania”, em inglês, segundo reportagem do Los Angeles Times. O negócio, autorizado tanto pelo governo japonês como pelo colombiano, é lucrativo. Viasus envia cerca de 300 besouros gigantes por mês ao Japão, que são vendidos em pet shops por cerca de US$ 350 cada. Há espaço para crescer. O empresário diz que poderia vender mil insetos por mês se tivesse essa quantidade disponível.


Criatividade ecológica

abril 28, 2008

Reportagem publicada ontem na Folha de S. Paulo mostra que os britânicos estão obcecados por fazer o bem ao meio ambiente. Peso na consciência, provavelmente. A preocupação em emitir menos dióxido de carbono tem exigido criatividade em novos negócios. Na terra da rainha, já existe até funeral ecológico. O caixão é feito de um material que parece palha entrelaçada e guarda um corpo que não foi embalsamado, mas apenas enrolado numa manta de algodão grosso. Tudo isso parece ser mais biodegradável. A reportagem cita ainda um restaurante localizado em Londres que só serve alimentos produzidos a poucas horas de distância do centro da capital inglesa. Dessa forma, menos combustível é queimado e menos dióxido de carbono é lançado na atmosfera. Outra medida, ainda na Inglaterra, vem da rede de supermercados Tesco, uma das maiores (se não a maior) varejistas do Reino Unido. A partir do mês que vem, todos os produtos vendidos nas lojas da rede terão, em suas embalagens, o número de pegadas de carbono que contêm desde a sua produção. Aquele item que menos pegadas tem é ecologicamente mais correto. Como disse o texto da Folha, uma verdadeira revolução em consumo ecológico.


Água valiosa

março 28, 2008


O clima está mudando (basta ver a placa de gelo de mais de 400 km2 que se descolou da Antártida e a enchente no sertão nordestino). Em alguns lugares, a água está rareando e, conseqüentemente, ficando mais cara. É o caso da Espanha. Para conter o gasto exagerado de água, a secretaria de meio ambiente da área metropolitana de Barcelona vai multar quem usar o recurso em excesso. A multa vai de 50 euros para quem regar o jardim até 3.000 euros para quem encher piscinas de 300 metros quadrados. A medida pode até parecer abusiva, mas na visão do governo vale tudo para enfrentar a seca que já assusta os espanhóis.