Chineses compram resíduos nucleares

setembro 17, 2008

Sabe a história de comprar gato por lebre? Pois aconteceu com três chineses em visita ao Quirguistão, também na Ásia. Eles encontraram uma pedra de 275 quilos e a compraram por US$ 2.000 pensando ser um tesouro, segundo reportagem do site EcoDiario.es. Ledo engando. Decidiram levar a tal preciosidade para um especialista avaliar, em Pequim, e eis que surge o veredito: era material radioativo. A polícia foi chamada e o trio, liberado, sem lesões à saúde, aparentemente. Só fico me perguntando quem foi que vendeu essa pedra para os três rapazes.

Anúncios

85 libras por um hambúrguer

abril 24, 2008

Parece que na Inglaterra o pessoal tem dinheiro de sobra. Depois de poder degustar o café mais caro do mundo, chegou a vez de os ingleses pagarem 85 libras por… um hambúrguer. A pedido da rede Burger King, o antigo chef do London’s Savoy Hotel está elaborando o sanduíche mais caro do mundo, que terá apenas ingredientes de excelente qualidade (pudera!). A nova iguaria será vendida apenas em áreas nobres de Londres, como Kensington e Chelsea. O objetivo do novo hambúrguer é ajudar a diferenciar a rede do rival McDonald’s.

A notícia está no Sky News.


A conta da guerra: US$ 504 bilhões

março 19, 2008


Exatos cinco anos após seu início, a Guerra do Iraque parece não ter um fim próximo. O presidente George W. Bush declarou que defende a permanência de suas tropas no país. Além das dezenas de milhares de vidas perdidas, o custo dessa guerra já chega a US$ 504 bilhões. É a segunda guerra mais cara para os Estados Unidos, ficando atrás apenas da Segunda Guerra Mundial. Para acompanhar o quanto se gasta na guerra do Iraque em tempo real basta acessar o site National Priorities Project.

Um artigo publicado no site The Huffington Post mostra como o dinheiro da guerra poderia ser mais bem empregado. Os US$ 130 bilhões gastos nos dois primeiros anos da guerra poderiam ter sido usados para concertar todas as escolas básicas e secundárias dos Estados Unidos e os cerca de US$ 185 bilhões que serão gastos nos próximos dois anos poderiam ser usados em benefício da saúde de nove milhões de crianças.