Filme rodado com 50 euros chega aos cinemas e a Cannes

julho 30, 2009

Reclamar do orçamento agora vai ficar difícil. O britânico Mark Price provou que é possível rodar um filme com apenas 50 euros (pouco mais de R$ 130), duas câmeras e muitos amigos. O longametragem Colin (veja o trailer acima) foi exibido em diversos cinemas do Reino Unido, em Cannes e no Festival Internacional de Cinema de Ficção Científica na Espanha. Com 97 minutos de duração, o filme conta a história de um homem mordido por um zumbi que morre e ressucita como um morto-vivo. A diferença deste filme – frente a tantos outros que falam de zumbis – é que ele mostra a história do ponto de vista de um dos mortos-vivos. O único ator do filme é Alastor Kirton, que interpreta o zumbi. Usando o Facebook e o MySpace, Price conseguiu reunir gente suficiente para fazer papel de figurante. Já a edição do filme ficou por conta de Price. Ele levou 18 meses para finalizar a obra.

Em entrevista ao Daily Telegraph, Price confessou que ir a Cannes assistir seu filme lhe custou mais que fazer a película.”Não tinha o que vestir, então pedi uma calça emprestada a um amigo. Em uma loja barata comprei uma gravata borboleta por R$ 30 e uma camisa branca de R$ 106.”


Spam é a principal fonte de recursos da internet

julho 10, 2009

spam

Dá pra acreditar? O spam – lixo eletrônico que todos recebem por e-mail – é a principal fonte de recursos da internet. Segundo informações da rede de monitoramento de dados Senderbase, uma de cada 10 mil pessoas que recebem spam de ofertas de produtos acabam comprando alguma coisa. A informação foi divulgado pelo diretor de segurança da empresa de registros de domínios Arsys, Olof Sandstrom, durante o seminário “A Convergência nas Tecnologias da Informação e Comunicação”, que aconteceu na Espanha, e publicada pelo jornal EcoDiario.


A crise financeira afeta a saúde das pessoas

julho 9, 2009

triste

A atual crise econômica mundial não afeta somente o mercado financeiro e a economia dos países. Afeta também a saúde das pessoas. Segundo um estudo publicado pela revista The Lancet, a crise aumentou o estresse, os transtornos mentais, os medos, o número de suicídios e assassinatos. Para cada 1% de aumento no nível de desemprego aumenta 0,8% o número de suicídios entre menores de 65 anos nos países da União Europeia. O mesmo acontece com os assassinatos. Em contrapartida, os acidentes de trânsito diminuem 1,4%.

Quando o desemprego sobe mais de 3% na União Europeia, os suicídios dos menores de 65 anos sobem 4,5% e as mortes por uso excessivo de álcool sobem 28%

Por conta desse resultado, os autores da pesquisa – David Stuckler, da Universidade de Oxford, e Martin McKee, da Escola de Higiene e de Medicina Tropical de Londres – recomendam a aplicação de políticas efetivas de emprego para reduzir essa tendência. Stuckel e McKee afirmam que o alto nível de desemprego é a principal causa de consequências tão ruins.