Quatro vôos diários para o espaço

março 28, 2008

A concorrência entre as empresas costuma favorecer o consumidor. Quando há mais de um fornecedor para o mesmo serviço os preços tendem a cair e a qualidade, a aumentar. Parece que isso já está acontecendo com o turismo espacial, mesmo antes de ele começar pra valer. A empresa americana XCOR Aerospace anunciou que está desenvolvendo uma aeronave de dois lugares que poderá fazer até quatro vôos diários para o espaço. Segundo a empresa, a viagem sairá por metade do preço da oferecida pela concorrente Virgin Galactic, que cobra US$ 200.000 por sete minutos em órbita. Os vôos da XCOR devem ter 30 minutos e o primeiro deles deve acontecer em 2010.


Água valiosa

março 28, 2008


O clima está mudando (basta ver a placa de gelo de mais de 400 km2 que se descolou da Antártida e a enchente no sertão nordestino). Em alguns lugares, a água está rareando e, conseqüentemente, ficando mais cara. É o caso da Espanha. Para conter o gasto exagerado de água, a secretaria de meio ambiente da área metropolitana de Barcelona vai multar quem usar o recurso em excesso. A multa vai de 50 euros para quem regar o jardim até 3.000 euros para quem encher piscinas de 300 metros quadrados. A medida pode até parecer abusiva, mas na visão do governo vale tudo para enfrentar a seca que já assusta os espanhóis.


Obesos pesam mais na folha de pagamento

março 27, 2008

Uma medida do governo japonês obriga as empresas a controlarem o peso de seus funcionários (a ditadura da magreza está mesmo em todo o lugar). Numa tentativa de conter o sobrepeso dos japoneses as empresas terão que medir a cintura dos funcionários com mais de 40 anos. Homens com mais de 85 centímetros de circunferência e mulheres com mais de 90 serão incluídos num grupo de risco. Os membros do grupo serão aconselhados a mudar os hábitos alimentares e a incluir exercícios físicos em suas rotinas. E não pára por aí. A medida prevê que as empresas diminuam o número de funcionários gordos em 10% até 2012. Quem não atingir a meta terá que pagar 10% a mais na contribuição previdenciária por cada empregado acima do peso. Gordinhos, se cuidem!

A notícia completa está no site da BBC Brasil.


Trânsito prejudica a vida e a economia

março 24, 2008

Quem mora em São Paulo (meu caso) sabe que a cidade está à beira de um colapso. O trânsito anda a passos lentos e em pouco tempo vai parar (li em algum lugar que isso vai acontecer no ano da Copa no Brasil: 2014). A lentidão de carros já afeta a vida de milhares de pessoas, que perdem horas preciosas entre um semáforo e outro, e também a economia. Segundo cálculos da Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, o custo dos congestionamentos na Grande São Paulo é de pelo menos R$ 4,1 bilhões por ano. Bilhões!!!! Todo mundo sabe que a solução para o trânsito paulistano e para melhorar o poluído ar que respiramos é investir em transporte público. Com metrô em toda parte e ônibus freqüentes e de qualidade certamente muitas pessoas deixariam o carro em casa para ir trabalhar. Mas, enquanto o transporte público eficiente não sai do papel, entra em vigor hoje na cidade de São Paulo uma série de medidas anticongestionamento, entre elas a proibição de estacionamento e de carga e descarga de caminhões em 17 ruas e avenidas, a criação (entenda-se divulgação) de 175 rotas alternativas e a remoção de 167 lombadas. Você acha que vai funcionar? Eu truco! E quando a maior cidade do país – responsável por 12,26% do PIB Nacional – parar, o que vai acontecer com quem mora e trabalha aqui e com a economia do país?

Para ler mais sobre o tema: Dá para escapar deste caos?


A economia vem do leite

março 20, 2008


O Castelo de Wapnö, na Suécia, diminuiu suas contas de energia em R$ 400.000 por ano depois que passou a usar leite de vaca para aquecer a antiga edificação do século 18. Os 30.000 litros de leite retirados diariamente das 1.100 vacas do castelo saem de seu ambiente natural a 37 graus. Logo em seguida passam por um resfriamento e chegam a baixos três graus, para que durem mais tempo. A idéia do gerente do castelo consiste em aproveitar o calor que sai do processo de resfriamento e usá-lo no sistema de aquecimento. A engenhoca é formada por um equipamento de resfriamento de leite que produz calor e um trocador de calor. Através desse último, o ar quente produzido no processo é transformado em água quente. A água, por sua vez, é bombeada para as tubulações do sistema de aquecimento e abastecimento de água quente do castelo. Ufa. Parece trabalhoso, mas funciona e ainda gera economia. Antes, eram necessários 17 metros cúbicos de combustível para aquecer o castelo. Agora, o antigo boiler foi desativado. Já existem planos para a construção de um hotel próximo ao castelo que usaria o novo sistema, pioneiro na Suécia. Para a o empreendimento hoteleiro a engenhoca significaria uma economia de aproximadamente R$ 790.000 por ano. O meio ambiente também agradece.

A notícia completa pode ser lida no site da BBC Brasil.


Hábito de fumar à venda

março 19, 2008


Após fumar por 12 anos, o neo-zelandês James Hurman, de 30 anos, decidiu vender num leilão o seu hábito de fumar. Quase não acreditei quando li essa história na coluna de Stephen Dubner no The New York Times, mas parece que a história é verdadeira, já que o dono do vício tem até um blog sobre o assunto. Hurman diz que já fez de tudo para largar o cigarro, mas nada deu certo. Agora que sua mulher está grávida quer acabar de vez com a fumaceira em casa. Para forçar a si mesmo a parar de fumar, Hurman vai fazer uma espécie de leilão no site Trade Me. Quem der o lance mais alto entre 22 e 30 de março leva o hábito de fumar. A coisa vai funcionar com contrato e tudo. Se Hurman fracassar em mais essa tentativa, quem comprou seu hábito de fumar vai ganhar US$ 800 por cigarro aceso. O difícil vai ser fiscalizar o cara. Ele diz que o montante arrecadado no leilão será doado para a Cancer Society of New Zealand.


A conta da guerra: US$ 504 bilhões

março 19, 2008


Exatos cinco anos após seu início, a Guerra do Iraque parece não ter um fim próximo. O presidente George W. Bush declarou que defende a permanência de suas tropas no país. Além das dezenas de milhares de vidas perdidas, o custo dessa guerra já chega a US$ 504 bilhões. É a segunda guerra mais cara para os Estados Unidos, ficando atrás apenas da Segunda Guerra Mundial. Para acompanhar o quanto se gasta na guerra do Iraque em tempo real basta acessar o site National Priorities Project.

Um artigo publicado no site The Huffington Post mostra como o dinheiro da guerra poderia ser mais bem empregado. Os US$ 130 bilhões gastos nos dois primeiros anos da guerra poderiam ter sido usados para concertar todas as escolas básicas e secundárias dos Estados Unidos e os cerca de US$ 185 bilhões que serão gastos nos próximos dois anos poderiam ser usados em benefício da saúde de nove milhões de crianças.